O que você precisa saber ao abrir uma empresa

O primeiro pensamento de quem pensa em abrir uma empresa é o seguinte: LUCRO. Mas será que isso é mesmo o mais importante?

 

 

Todo empresário deseja que sua empresa dê lucro, mas a realidade é que a maioria dos empreendimentos fecham as portas antes mesmo de atingir o ponto de equilíbrio. Estima-se que de cada 10 empresas abertas, 6 encerram as atividades antes dos 5 anos de atuação no mercado, isso se dá principalmente por conta da má – ou da não – administração do negócio.

 

Antes de pensar em ganhar muito dinheiro abrindo uma empresa, é necessário ter a capacidade analítica de prever acontecimentos, obtendo assim maior chance de enfrentar possíveis problemas que surgirão. A ausência de planejamento é apontada como a principal causa de falências, já que para quem não sabe para onde está indo, qualquer caminho é válido. Abordaremos neste artigo alguns quesitos básicos do planejamento estratégico de uma empresa.

 

Existem algumas perguntas que devem ser feitas, a fim de traçar o perfil da sua empresa e uma delas é: quem são seus concorrentes?

 

Existem dois tipos de concorrência: a direta e a indireta. A primeira trata-se de quem comercializa o mesmo produto que você, enquanto a segunda fala de quem não comercializa o mesmo produto que a sua empresa, mas disputa o mesmo cliente. Quem são os concorrentes diretos da sua empresa? E os indiretos? Qual estratégia existe para monitorá-los? De qual você fará uso? Essas são questões que devem ser definidas antes de dar qualquer passo.

 

Outra questão importante e o fornecimento. Melhor do que ter fornecedores, é estabelecer a relação de parceria em seus negócios. Manter um bom relacionamento com seus fornecedores, pode acarretar em maior crédito e prazo para pagamentos, tornando o seu negócio mais lucrativo.

 

De suma relevância, devemos falar acerca dos custos. Existem os custos fixos e os custos variáveis. Fixos são aqueles custos que possuem sempre o mesmo valor e vencimento, independente do faturamento da empresa. Já os custos variáveis, como o nome sugere, vão variar de acordo com o volume de produção ou faturamento.

 

Até aqui você já pensou na concorrência, nos fornecedores e nos custos, mas e as vendas?

 

É preciso estipular uma meta de vendas, bem como uma forma de controle. Por outro lado, para atingir a meta estipulada – que pode ser arrojada, desde que não seja mirabolante, deve haver um bom planejamento de preços dos produtos e serviços. Existem três formas de estabelecer os preços, baseando-se em: custo, concorrência e consumidor.

 

Baseando-se no custo, calcula-se o preço de venda através de custos internos, ou seja, você calcula quanto vai gastar para gerar aquele bem e coloca a sua porcentagem de lucro em cima. Quando calcula-se o preço a partir da concorrência, a base do valor do meu serviços/bem será retirado a partir do preço que a concorrência cobra. Já o cálculo com base no consumidor, vai considerar quanto o cliente está disposto a pagar pelo meu produto. É possível realizar uma pesquisa para estipular esse valor.

 

Em todos os casos, um estudo interno deve ser aplicado, para afirmar se os preços de venda praticados cobrem toda a operação da empresa.

Spread the word. Share this post!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *